segunda-feira, 2 de abril de 2007

Opinião Que Conta!!!

O Special One comentou o Benfica-FC Porto para o Record, eu li gostei e assino por baixo.
Transcrevo aqui o texto todo por duas razões:

Uma - Para não terem que ir atrás do link e depois correr o risco de não voltarem.
Duas- Para este post não ficar só com uma ou duas frases.
Três - Eram só duas razões.

"Começo com uma opinião/sugestão que nasce na dificuldade com que preparo os meus jogos que sucedem a jornadas duplas de selecções nacionais. Os jogadores desaparecem durante 15 dias, chegam, chegam para “descansar”, chegam para recuperar do esforço de dois jogos, de treinos diferentes, de viagens, de pressão. E o trabalho que nos espera resume-se à recuperação física e mental e não ao trabalho potenciador de qualidades individuais ou tácticas e de preparação do jogo seguinte.

Opino, pergunto, sugiro. Quando se realiza o sorteio do campeonato na pré-época, não se deveria condicioná-lo como se faz por outras razões e retirar os clássicos às jornadas pós-selecções? Não seria fácil “proibir” o computador que se jogue um Benfica-FC Porto nesta jornada? Pergunta de treinador que como Fernando Santos e Jesualdo Ferreira gosta de trabalhar no máximo das suas capacidades e proporcionar aos seus jogadores as melhores condições de preparação e de sucesso, mas também uma pergunta de apaixonado pelo jogo, que “matuta” por detalhes que possam melhorar a nossa indústria, se quiserem a nossa paixão.

Passemos ao clássico e recordo como se fosse hoje as minhas últimas palavras na velha Luz, antes do meu primeiro clássico, que dirigi aos meus jogadores: “Controlem as vossas emoções, pensem, não se emocionem”. E essas palavras, passados já alguns anos, não se tornaram “démodé”.

Pensar o jogo e dominar emoções continua a ser decisivo nos jogos grandes. Os jogadores não o conseguiram ou não o desejaram, pelo que a primeira meia hora foi deprimente nesse aspecto. Caça ao cartão, simulação de agressões, quedas ridículas. A televisão, nesse particular, deixa alguns jogadores perto do ridículo quando mostra e repete reacções teatrais.

Penso que os treinadores merecem que os comentadores iniciem o seu trabalho antes de o jogo começar. Comentar opções depois do resultado é tarefa fácil e muitas vezes injusta e até hipócrita.

Falta meia hora para o início do jogo e penso que ambos os treinadores decidiram bem. Fernando Santos trabalha um único sistema, tem jogadores adaptados ao modelo, retira de Simão e da liberdade que lhe ofereceu rendimento máximo, tem ganho, tem jogado bem. Mantém-se fiel e penso que abordou bem este jogo.

Jesualdo Ferreira tem variado as suas escolhas e em função da ausência de Lisandro López e de substituto directo e de rendimento regular, e julgo também como consequência da sua leitura das dificuldades que sentiu contra o losango do Sporting, opta por 4x4x2, e quanto a mim muito bem. A opção por Jorginho? Correcta, também. Porquê? Porque se quiser mudar para 4x3x3 sem gastar substituição, pode fazê-lo jogando com o brasileiro aberto.

Anderson no banco? Normal e correcto. Temos sempre o impulso de pôr os melhores a jogar, mas temos de ser racionais e pragmáticos. Também eu queria pôr Joe Cole na quarta-feira e já pensei nisso 20 vezes... Mas não dá. Depois de cinco meses de ausência, a gasolina só dá para 15 minutos...

OFC Porto entrou melhor e parece-me que a razão do seu controlo do jogo começou no campo “grande” que os seus defesas fizeram. Bruno Alves e Pepe deram profundidade à linha atrasada e o Benfica decidiu manter as suas linhas juntas. Onde? Atrás... compactos e seguros, mas Miccoli e Nuno Gomes, para estarem perto de Simão, Karagounis e Katsouranis, ficaram longe dos centrais do FC Porto, que circulavam a bola com tranquilidade fazendo-a sair ora por Paulo Assunção ora pelos laterais. O FC Porto não criava perigo, com excepção da diagonal de Adriano, mas controlava a posse, os ritmos, quando perdia a bola isso acontecia a mais de 50 metros de Helton... e tranquilizava-se.

O golo de bola parada não deve acontecer... Em equipas que defendem ao homem e há adversários definidos, há responsabilidades. Quem marcava Pepe? Penso que Anderson! O resultado era justo ao intervalo. O FC Porto não tinha brilho, mas tinha coerência no seu jogo.

Quando se perde e joga-se bem, pode acreditar-se e manter tudo como está. Quando se perde e joga-se mal, é importante mudar. Tentar Simão numa ala para tentar o um-contra-um ou dar mais profundidade ao jogo? Derlei motivado contra o anterior clube e com mentalidade especial que pode mudar a abordagem mental da equipa ao jogo? Rui Costa pensador e passador? O FC Porto sem alas adaptado ao Benfica com três defesas? Nestes dias e nestas dificuldades o treinador pode ser importante.

Rui Costa foi a primeira opção e o “moribundo” Katsouranis o substituído. Turquia e Noruega deixaram-no longe das melhores condições para este jogo crucial para o seu clube. Rui melhorou a equipa em posse. A bola andou mais rápido, os avançados atingidos mais vezes, os laterais estiveram mais participativos... O bloco, mais à frente, obrigou o FC Porto a construir largo, a não poder ter e usar a bola, a não conseguir que a sua posse fosse a sua grande arma defensiva, foi, quanto a mim, a grande razão da transformação do Benfica para melhor e do FC Porto para pior.

Benfica melhor... mas ainda a perder! Entra Derlei e sai Nuno Gomes. Ponta-de-lança por ponta-de-lança. Se o Benfica não marca perde o campeonato...

O domínio mantém-se e Petit liberta-se. O FC Porto troca Jorginho por Renteria e abre as alas. Para tentar matar o jogo ou para parar as subidas de Nélson e Léo? Petit joga mais à frente, remata, ganha segundas bolas. O golo surge e, confesso, preferia que tivesse sido David Luiz o seu autor... porque o miúdo jogou bem, tem personalidade e merecia. Porque Lucho é um grande jogador e não merece o seu nome ligado ao autogolo.

O melhor de tudo? O campeonato continua... Mas bom também foram os últimos 10 minutos do Benfica, com Mantorras e Derlei, e muito bem estiveram Helton, Pepe, Bruno Alves e David Luiz. Óptimo? O estádio cheio e jogo sem casos."

Autor: JOSÉ MOURINHO
Segunda-feira, 2 Abril de 2007 - 17:16


Cumprimentos

Beco Escuro